• English (United Kingdom)
  • Português (pt-PT)
  • French (Fr)
  • Español(Spanish Formal International)
  • Deutsch (DE-CH-AT)

 

Cartões de identificação do motorista/caminhoneiro RFID

A identificação dos caminhões e seus motoristas em terminais pode ser automatizada através da introdução de cartões RFID. O cartão RFID é a indicação perfeita para rastrear e acompanhar caminhoneiros e veículos em um terminal, com a leitura LPR como uma alternativa mais cara e menos precisa.

O mesmo sistema de cartões também pode ser usado como sistema de controle de acesso quando um porto ou terminal é obrigado a seguir as regras ISPS. Um cartão pode atender esses dois objetivos tornando este um exercício mais econômico.

O ideal é a situação em que um sistema de cartões já esteja implementado para a conformidade com o ISPS. Ele pode ser usado também para fins de rastreamento e acompanhamento sem que seja necessário gastar mais dinheiro.

Configuração - organização

A emissão e a distribuição de cartões de identificação do caminhoneiro é, na maioria das vezes, responsabilidade das autoridades portuárias e outras organizações governamentais locais, apesar de, em alguns casos, os cartões também serem introduzidos no nível do terminal.

Exemplos de implementação de cartões de identificação de caminhoneiros são CargoCard em Roterdam, AlfaPass Card na Antuérpia, o RHIDES card em Felixstowe e o TWIC card nos EUA.

Especificações mínimas para cartões de identificação do caminhoneiro

  • Preferencialmente sem contato
  • Foto opcional do motorista (permite verificação manual da identificação)
  • Informações pessoais impressas e incorporadas (Nome, endereço, empregador, etc.)
  • Informações biométricas opcionais (permite a verificação de identificação não assistida)
  • Emitido no nível do porto (cartão comum em locais multi-terminais)
  • Uso de lista negra distribuída (mantém o registro de cartões “bloqueados”)

Armazenagem de dados pessoais

Cada país tem regulamentos relativos à armazenagem e ao uso de informações pessoais. Para evitar conflitos com esse tipo de regulamentos, a maioria dos sistemas de cartões de identificação armazena dados pessoais, inclusive dados biométricos, no cartão. Nesse caso o banco de dados mantém apenas um número limitado de informações, basicamente nada mais do que os números exclusivos do cartão de identificação do caminhoneiro.

Identificação do veículo

A identificação do veículo serve a vários propósitos:

  • Nos portões ela é usada para compatibilidade de pistas entre portais OCR e pistas de portão; para garantir que os dados OCR corretos sejam vinculados ao caminhão correto quando ele está em uma pista de portão.
  • No portão de saída para verificar se a combinação correta do caminhão está saindo do terminal: a identificação do caminhão + a identificação do contêiner + a identificação do motorista precisam ser compatíveis.
  • Na área de troca a identificação do veículo é usada para garantir que o contêiner certo seja carregado ou descarregado do chassi correto. Hoje em dia é comum ter o número da placa de identificação do caminhão pintada no teto da cabine para possibilitar a verificação visual feita pelo movimentador de contêineres ou RTG.

Solução

O método de identificação de veículos mais popular atualmente é a leitura da placa de identificação dianteira do veículo com um sistema de câmeras LPR. Apesar de direto, esse sistema é uma das principais fontes de geração de chamadas de exceção na mesa do operador. O número de chamadas depende da qualidade das placas e varia entre 2 e 5%.

vehicleidentification_75_174x87Uma solução mais recente e mais precisa é a introdução de etiquetas RFID de longo alcance de leitura. Essas etiquetas são afixadas por trás do para-brisa dos caminhões e podem ser lidas enquanto os caminhões passam por um leitor. Normalmente esses leitores são montados dentro dos portais de câmera OCR. A mesma etiqueta também é lida nas pistas de portão ou na área de Grid / troca.

Tecnologias RFID

Atualmente várias tecnologias RFID estão disponíveis e são usadas no mercado. De curto alcance (1 até 10 cm) até longo alcance (14 metros ou mais). As etiquetas RFID podem ser categorizadas em função do uso da energia (passivo, semipassivo e ativo), banda de frequência usada e capacidade de leitura/gravação de armazenagem de dados.

Passivo

rfidtechnologies_75_116x75As tecnologias mais populares são cartões RFID HID (125kHz) e Mifare (13,56MHz). As soluções de 125kHz estão sendo descontinuadas paulatinamente e substituídas por cartões mais populares, chamados Mifare (que permitem a armazenagem de até 4Kbit de dados). A armazenagem de dados normalmente é usada para armazenar dados biométricos e outros dados pessoais.

Recentemente e etiqueta EPC GEN2 se tornou mais popular. Sua tecnologia de 860-960MHz tem a vantagem de ter um alcance de leitura maior (até 14m), mas a desvantagem é que falta segurança.

A Mifare e a EPC GEN2 são etiquetas padrão. Leitores e etiquetas podem ser comprados de fornecedores diferentes.

Semipassivo

Essas etiquetas, que funcionam na banda de 2,4 GHz, têm uma bateria pequena. Elas são “semipassivas” e ficam normalmente em “modo de espera” e a bateria é usada apenas quando ativadas pela antena. Esse conceito garante uma vida útil mais longa, até 5 anos e um alcance de leitura bastante longo, que chega a 12 metros. Esse tipo de etiqueta não é padronizado e consequentemente não é intercambiável entre fornecedores diferentes.

Ativo (transponders)

Essas etiquetas operam nas bandas de 2,4 ou 5,8 GHz. Como a maioria delas funciona como um transponder (enviando mensagens a intervalos regulares), a vida útil da bateria fica limitada (variando de 3 a 10 anos). A distância de leitura varia de 3 metros até mais de 100. Os exemplos são os transponders AEI montados em vagões nos EUA e na Austrália. Na Europa os pedágios estão usando transponders DSRC.

Tecnologia combinada de cartões

combinedcardtechnology_75_58x90

Além dos cartões descritos acima, a CAMCO oferece um cartão especial do tamanho de um cartão de crédito que combina a etiqueta de alcance curto (usada normalmente na identificação de pessoas) com o cartão de etiqueta de alcance longo (identificação de veículos).

As vantagens da tecnologia CombiCard são que o cartão atende dois objetivos principais: identificação do veículo durante a condução e identificação pessoal quando parado em um kiosk.

A CAMCO introduziu esse sistema CombiCard em vários terminais como Cargo Service em Arhus, Dinamarca e em diferentes terminais Transnet na África do Sul. A Transnet equipou mais de 13.000 caminhões com CombiCards, o que permitiu um acompanhamento de veículos e um controle de acesso fáceis, automatizados e precisos.

Produtos e experiência da CAMCO

A CAMCO tem um longo histórico na implementação de sistemas de cartões RFID. Desde a fundação da empresa, instalamos muitas soluções RFID, desde aplicações de alcance curto de leitura (HID, Mifare), até etiquetas RFID ativas e semiativas, incluindo AEI bem como leitores DSRC.

A CAMCO oferece aos portos e terminais soluções completas e prontas para uso de cartões de identificação para a identificação de motoristas e veículos, incluindo todo o hardware, (cartões, estações de clientes, estações de cadastramento, leitores, ...) e software (bancos de dados, módulos de software de cadastramento, interfaces de controle de acesso...) necessários.

Para saber mais sobre nossas soluções de Cartões RFID, entre em Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar .

 

 

porndikex3c